Como Lidar com a Farmacodependência: Guia Completo

Seu contato é muito importante

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.
Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


farmacodependencia

Farmacodependência: entendendo os riscos e tratamentos

A farmacodependência, ou dependência química, abrange diferentes situações de vícios em substâncias lícitas e ilícitas.

Para além da predisposição genética e fatores sociais ligados à farmacodependência, as causas desse transtorno devem ser tratadas com o apoio psicológico e psiquiátrico de profissionais capacitados.

Neste artigo, exploraremos os fatores de risco, sintomas, tratamentos e consequências dessa condição. 

Continue a leitura!

O que é a farmacodependência?

A farmacodependência, também conhecida como dependência química, é uma condição complexa em que indivíduos se tornam viciados em substâncias psicoativas. 

Essas substâncias podem incluir álcool, tabaco, drogas ilícitas ou medicamentos prescritos. E a dependência afeta negativamente a saúde física, mental e social do indivíduo farmacodependente.

Quem pode ser farmacodependente?

Os dados do Conselho Federal de Farmácia mostram que a comercialização de antidepressivos e estabilizadores de humor aumentou 36% entre 2019 e 2024.

Em situações sociais de sofrimento psíquico, esse consumo pode aumentar ainda mais.

O Relatório Mundial sobre Drogas de 2021, divulgado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), avaliou o consumo global de drogas e os impactos da pandemia de COVID-19. 

No período observado, cerca de 5,5% da população entre 15 e 64 anos usou drogas lícitas ou ilícitas em 2020 e 13% das pessoas que usaram drogas sofrem de transtornos associados ao uso.

Isso mostra que a nossa sociedade está passando por um quadro preocupante de consumo de substâncias químicas.

A dependência dessas substâncias pode ser mais propensa em alguns casos, como:

  • Histórico familiar de dependência química;
  • Eventos traumáticos e transtornos psicológicos pré-existentes;
  • Uso precoce, experimentando substâncias durante a fase de desenvolvimento (infância e adolescência).

A predisposição genética não está envolvida apenas na vulnerabilidade a determinadas drogas, mas também na arquitetura dos circuitos formados pelos neurônios cerebrais. 

O uso abusivo remodela esses circuitos, tornando a dependência química um transtorno da plasticidade neuronal.

No entanto, é importante lembrar que a genética não é o único fator determinante e que o ambiente e o comportamento também desempenham papéis significativos na farmacodependência.

Como identificar a farmacodependência?

A identificação da farmacodependência envolve observar sinais e sintomas que indicam o uso excessivo e prejudicial de substâncias. 

Os sintomas variam, mas podem incluir:

  • Compulsão: necessidade incontrolável de usar a substância;
  • Tolerância: requer doses cada vez maiores para obter o mesmo efeito;
  • Abstinência: sintomas de comportamento e fisiológicos quando a substância não está disponível;
  • Perda de Controle: incapacidade de parar ou reduzir o uso.

Além disso, mudanças no comportamento, isolamento social, deterioração da saúde física e problemas nos relacionamentos podem ser sinais de alerta. 

É importante estar atento a esses sinais e buscar ajuda profissional quando necessário.

Como lidar com a farmacodependência?

O tratamento envolve abordagens multidisciplinares, como terapia comportamental, suporte social, medicamentos e reabilitação. 

Cada caso é único e o tratamento deve ser adaptado às necessidades individuais. Consultar um profissional de saúde especializado é essencial para um plano de tratamento eficaz. 

Dentre os tratamentos mais utilizados, estão:

  • Desintoxicação e abstinência: visa remover a substância do organismo. Isso pode ser feito em ambiente hospitalar ou ambulatorial, dependendo da gravidade. Durante a abstinência, o paciente pode enfrentar sintomas desconfortáveis, como ansiedade, tremores, náuseas e insônia; 
  • Terapia comportamental: terapias cognitivo-comportamentais (TCC) e terapias motivacionais são comuns. Elas focam na mudança de comportamentos disfuncionais e na motivação para a recuperação;
  • Tratamento psiquiátrico medicamentoso: é utilizado em casos muito específicos e sempre administrado por psiquiatras, já que o paciente pode ter resistência ou adquirir uma nova dependência;
  • Apoio social e grupos de apoio: participar de grupos como Alcoólicos Anônimos (AA) ou Narcóticos Anônimos (NA) pode ser benéfico. O apoio de pares e a troca de experiências são fundamentais para a recuperação;
  • Prevenção de recaídas: a terapia de prevenção de recaídas (TPR) ajuda a desenvolver habilidades para enfrentar desafios sem recorrer à substância.

Mas a prevenção ainda é fundamental, especialmente em grupos de risco, como familiares de farmacodependentes e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

O que acontece se a farmacodependência não for tratada?

O uso contínuo de substâncias pode afetar negativamente a qualidade de vida e a funcionalidade geral.

Isso inclui problemas de saúde física e mental, dificuldades nos relacionamentos, perda de emprego, isolamento social, infrações penais e, em alguns casos, pode levar à morte por overdose. 

Tratamento em clínicas de reabilitação para farmacodependência

O tratamento para farmacodependência em clínicas de reabilitação é um processo abrangente e multidisciplinar, projetado para auxiliar os pacientes a superarem dependências químicas, transtornos mentais e outros desafios relacionados à saúde. 

Os principais diferenciais de uma clínica ideal incluem:

  1. Admissão e avaliação inicial: uma avaliação abrangente do paciente, considerando sua história médica, padrões de uso de substâncias e necessidades individuais, criando um plano de tratamento personalizado;
  2. Terapias complementares: além das terapias tradicionais, clínicas podem oferecer terapias artísticas, corporais e recreativas para expressão emocional e bem-estar;
  3. Educação e conscientização: programas educacionais sobre dependência química e saúde emocional são essenciais para a recuperação, com terapias em grupo e individuais.

Onde encontrar clínica para reabilitação de farmacodependência?

A Jovens Livres auxilia pessoas em dependência e familiares que buscam por tratamento voluntário, involuntário e compulsório.

Com a ajuda da Jovens Livres, você poderá encontrar a melhor clínica de reabilitação para farmacodependência, com uma unidade próximo de casa e com as melhores condições de tratamento.

Encontre uma clínica preparada para a avaliação do caso em estados como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Trabalhamos somente com clínicas extremamente bem-preparadas para avaliar cada caso individualmente, encontrando o tratamento mais adequado e humanizado para quem precisa de ajuda.

Gostou do nosso conteúdo e quer saber como encontrar uma clínica perto de você? Converse com um de nossos terapeutas de plantão pelo WhatsApp e receba todas as informações.

Sumário
Como Lidar com a Farmacodependência: Guia Completo
Nome do Artigo
Como Lidar com a Farmacodependência: Guia Completo
Descrição
Aprenda sobre a farmacodependência, seus sintomas e tratamentos. Saiba como superar o vício e recuperar sua qualidade de vida.
Autor
Nome do Redator
Clínicas Jovens Livres
Logo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
× Como posso te ajudar?