Clinica de Recuperação Gratuita

Dependentes recebem tratamento gratuito em comunidades terapêuticas financiadas pelo governo federal. Dependentes de álcool e drogas tem conseguido, no atual governo, um apoio relevante para o abandono do vício e o retorno ao convívio familiar e ao trabalho.

Dependentes recebem tratamento gratuito em comunidades terapêuticas financiadas pelo governo federal

Em 2022, o Ministério da Cidadania quadriplicou o número de oportunidades nas comunidades, chegando a 11 mil vagas financiadas; meta para este ano são 20 mil postos, vagas em clinica de recuperação gratuita no estado de Goiás e Brasilia

Dependentes de álcool e drogas tem conseguido, no atual governo, um apoio relevante para o abandono do vício e o retorno ao convívio familiar e ao trabalho. Esse apoio é oferecido por meio de vagas financiadas em comunidades terapêuticas. Instituições privadas sem fins lucrativos, as comunidades acolhem pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de drogas e, a partir daí, oferecem oportunidades que envolvem desde o cuidado em diversos aspectos da saúde à capacitação profissional. Em 2019, o Ministério da Cidadania quadruplicou o número de vagas financiadas pelo governo federal nessas unidades: de 2.900 para 11 mil vagas, em todas as regiões do País. Para este ano, a meta é chegar a 20 mil vagas financiadas. Clinica de recuperação gratuita, Clinica de recuperação gratuita em Brasília df
 

Segundo o secretário nacional de Cuidado e Prevenção às Drogas, Quirino Cordeiro, as comunidades terapêuticas têm um papel fundamental, ao promover a ressocialização de usuários e dependentes químicos. “As comunidades terapêuticas valorizam a convivência entre os acolhidos, fortalecendo a mudança de hábitos e rotinas para a redução dos fatores de risco, que levam à dependência e uso de drogas. Além disso, promovem o resgate dos vínculos familiares”, completa.
 

Daniel Costa Caldas, de 46 anos, é testemunha da importância do trabalho desenvolvido nas comunidades terapêuticas. Ele começou a usar drogas na adolescência e, em função do vício, foi morar na rua. Determinado a se tratar, Daniel procurou a Comunidade Terapêutica Fazenda Renascer, em Belo Horizonte. Ali, ocupou uma das vagas oferecidas pelo Ministério da Cidadania, fez exames e deu início ao tratamento.
 

“Quando eu entrei, eu propus a levar a sério, a me dedicar ao máximo. E está dando certo. A fazenda é completa, tem tratamento psicológico, tem reuniões de grupo. Então, eu aproveito todas as ferramentas que me são oferecidas. E com isso, né, eu vou voltando à sanidade. Hoje, graças a este tratamento, eu estou conseguindo enxergar novamente uma possibilidade de voltar a viver”, afirma Daniel, internado há seis meses. Ele já está pronto para o primeiro período de ressocialização, de quatro dias com a família, e aproveita todas as atividades oferecidas pela instituição.
 

Convivência do bem
 

A base da terapia utilizada nas comunidades terapêuticas é a convivência mútua com outras pessoas que também utilizaram drogas ou álcool e que tenham desenvolvido dependência química. São organizados grupos de mútua ajuda e, assim, os próprios acolhidos se incentivam a atingir os objetivos dos tratamentos, entre eles: a manutenção total da abstinência, a conquista da autonomia, o resgate dos vínculos familiares, a mudança de hábitos e a criação de rotinas. De acordo com o Ministério da Cidadania, todas estas estratégias fortalecem a proteção e reduzem os fatores de risco que poderiam levar a uma recaída no uso de drogas.
 

É por meio da Secretaria Nacional de Cuidado e Prevenção às Drogas (Senapred) que o Ministério da Cidadania apoia o trabalho das comunidades terapêuticas. Regularmente, a Senapred formula editais de chamamento público, por meio dos quais repassa recursos para a garantia de vagas nestas instituições. Deste modo, a secretaria oferece o tratamento de forma gratuita para pessoas que não tenham como financiá-lo.
 

Encontre uma oportunidade
 

Para ingressar em uma comunidade terapêutica, é preciso fazer uma avaliação médica e apresentar um diagnóstico, que pode ser emitido por médico da rede pública ou privada de saúde ou, até mesmo, por médico contratado pela própria entidade que considere a pessoa apta a acolhimento. O tempo deste acolhimento varia entre três e 12 meses.
 

As vagas financiadas pelo governo federal podem ser encontradas em um mapa online. Por meio dele, qualquer cidadão pode acessar as comunidades conveniadas mais próximas de onde mora e verificar se há vagas disponíveis.

Internação Voluntária Considera como um problema de Saúde conforma a Organização Mundial da Saúde (OMS), Também considera como um problema social e transtorno mental, é uma doença crônica que atingi milhões de pessoas em todo o mundo. Quem sofre deste problema precisa inevitavelmente buscar uma clínica e solicitar uma internação voluntária.

Sabemos que as substancias atuam no sistema nervoso central, alterando vários sentidos físicos e emocionais do dependente químico, principalmente as drogas consideradas como psicoativas. As drogas são conhecidas desde o inicios das civilizações, utilizadas por ritos religiosos, pelas os povos pré-colombianos e diversos outras, como a maconha, álcool e cocaína, causando diversos desequilíbrios no organismo e metabolismo, levando a dependência química.

A dependência química é muito complexa e precisa de tratamento especializado, pacientes que buscam uma internação voluntária tem grandes possibilidades de encontrar a cura do vício, pois decidiram por si próprios a buscarem ajuda em clínicas especializadas para o tratamento do vício. 

Como Funciona a Internação Voluntária?

Como o próprio nome diz, a internação voluntária é aquela em que o paciente com o seu consentimento assina a sua própria internação por livre e espontânea vontade, podendo ser na Clínica Jovens Livres ou numa outra instituição especializada.

Sabemos que não é fácil se livrar da dependência química e o tratamento pode ser um pouco demorado, com fases e processos que podem ser um pouco doloroso, mas é a única maneira que a dependente precisa para se livrar de vez do vício químico. Mas o paciente tendo a sua própria vontade desde o momento que decidiu a entrar num programa de tratamento, terá mais possibilidades de se livrar do vício.

Existem casos em que o paciente está no fundo do poço, podendo a chegar num estágio que poderá atentar contra a sua própria vida ou terceiros, nestes casos a internação pode vir a se tornar involuntária. Mas sendo seguido por determinação médica responsável.

A família e amigos também exerce um papel fundamental na recuperação do dependente químico. A melhor forma de convencer um dependente químico a se internar voluntariamente é através de um diálogo sincero, no momento em que a pessoa possa estar sóbria, calma e livre de entorpecentes no momento da conversa.

No momento em que a pessoa aceita a se internar voluntariamente, a família não deve prorrogar o momento, deve-se fazer a internação imediatamente, para que o dependente não tenha uma recaída e se arrependa de se internar. E também é importante que tenha a clínica escolhida para indica-lo, facilitando a velocidade do processo da internação.

A Clínica jovens livres é especializada no tratamento e combate à dependência química. A clínica possui tratamento humanizado e qualificado por diversas entidades. Todos os profissionais estão prontos e preparados para atender diversos tipos de pessoas, seja para tratamento masculino, feminino, menores de idade e idosos.

Se você decidiu a internação voluntária, não deixe de entrar em contato com nossa equipe, estamos prontos pra lhe atender 24 horas e tirar suas dúvidas. Solicite uma visita e saiba como funciona o tratamento em nossas clínicas.

ATENDIMENTO

(62) 993319679 

(0800) 444-4404

 
NOVOS ARTIGOS

Blog

Dicas e Informações